Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




capitulo 2 - Alcoolismo - historia de Paulo

por vidanapenumbra, em 26.05.08

 

Capitulo – 2
            Sempre tive uma vida muito problemática, quando era muito novo o meu pai e a minha mãe morreram num acidente de mota, tudo porque a outra pessoa que conduzia um carro estava embriagada e não viu o sinal de STOP num cruzamento, depois os meus tios ficaram comigo e com os meus irmãos.
            Nunca gostei de estar em casa da minha tia, vivíamos no interior de trás-os-montes; e os mais velhos (que eram a nossa referência) ou estudavam e acabavam por sair dali, ou o futuro seria serem pastores.
Mas o pior de tudo era o meu tio. Era alcoólico, e quando chegava mais “tocado”, mandava-me com a cabeça contra a parede (nunca percebi o porquê), mas andava sempre a discutir com a minha tia. Ás vezes ele estava arrependido e levava-me ao café da aldeia, outras trazia para casa os animais que caçava – raposas por exemplo – e punha-os pendurados no teto e virados de cabeça para baixo para um bidão de lata eu nunca gostei muito mas preferia fingir que era muito giro.
Houve um dia em que o meu tio Leandro, para além de discutir, quis ir mais longe e como já estava bêbado, agarrou numa faca e foi direito à minha tia, esta ao prever o que se iria passar, ainda saiu de casa e correu tanto quanto pôde. Eu e os meus irmãos ao ouvir os gritos da minha tia fomos ter com a vizinha pedir ajuda, lembro-me que já era muito tarde porque no silêncio e calma da noite apenas se ouvia os gritos da minha tia, nós tentamos chegar o mais depressa possível, a verdade é que as nossas pernas eram pequenas para os passos que queríamos e devíamos dar, a vizinha a que íamos pedir auxilio antes de lá chegarmos já se encontrava na porta a tentar perceber de onde vinham aqueles gritos e pedidos de socorro. Lembro-me de não nos deixarem vir a rua de nos tentarem manter lá em casa.
            A aldeia que parecia deserta, de um momento para o outro, estava totalmente acordada, era um entra e sai da casa da vizinha uns passavam a mão nas nossas cabeças, outros diziam: “coitados, não têm muita sorte”, “Aquele Leandro….como é que foi capaz?!”, “…a bebida… sempre a bebida…!!! ”, “Ela era muito bonita…. Será que vai escapar?”,
            Mais tarde acabamos por saber o que realmente havia sucedido: A minha tia esteve no hospital comigo e demoramos muito tempo, o hospital era longe e não havia muitos transportes, o meu tio ao chegar para almoçar, não a encontrou; o ciúme e insegurança levou a que ele estivesse até muito tarde no café da aldeia a beber e quando chegou a casa, depois de muito remoer, e cobiçarem muito a tia lá na tasca; a explicação que encontrou foi a de ela o estar a trair….
            Quando todos nos passavam a mão pela cabeça, e diziam aquelas coisas foi porque, a minha tia tinha ido para o hospital – tinha sido esfaqueada perto da igreja, e nem a casa do senhor foi poupada a tanto sangue –, o meu tio depois de muito resistir foi preso.
 
 
(Continua)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:52


1 comentário

De estrelaquebrilha a 27.05.2008 às 15:12

tou curiosa para saber o resto.
bj

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D